terça-feira, 14 de outubro de 2014

Desculpe, mas estou apaixonada por você!


Desculpe, meu querido, mas preciso confessar: me apaixonei por você. Não era minha intenção, juro. Sei que não era pra tomar esse rumo, mas, me perdoe, simplesmente aconteceu e não pude evitar. Nem sequer percebi, quando vi já tinha acontecido e nada mais podia ser feito a não ser tentar te conquistar. Sim, foi de propósito. O cuidado, a provocação, as conversas e o ombro amigo. Nada por acaso.
Desculpe mesmo, meu amor. Uma vez ensinaram-me que o não eu já tenho então eu precisava arriscar o seu sim que tanto queria. Me perdoe, mas desejava e sonhava com uma reciprocidade de sua parte.
Perdoe não seguir o acordo, perdoe o ciúme indevido e a birra infantil.
Perdoe as tentativas de ter seu amor. Não era minha intenção mesmo que fosse.
Peço que, além do perdão, assuma sua parte da culpa.
Sim, você sabia e no entanto não impediu o que seguia por caminhos "errados". No fundo acredito que, assim como eu, também agiu com a intenção. Admita, conte-me que foi de propósito. A atenção desnecessária, os sorrisos, as brincadeiras, as conversas e o ombro amigo.
Não tinha como não me apaixonar e você sabia disso.
Seu acordo era inviável e não demorou a perceber, mas continuou a me permitir avançar em sua direção como se não houvesse um contrato mudo entre nós.
Te peço perdão, mas exijo que assuma sua parcela de culpa. Afinal, me permitiu chegar até aqui e agora já não tenho certeza se posso prosseguir ou se devo simplesmente desistir e entender aqueles possíveis sinais como pura loucura dessa minha mente bagunçada.
Meu querido, perdoe, por favor.
Tenho sido boba, verdade.
Converso com você em silêncio enquanto todos os outros se alienam do tempo e lugar no qual estamos, o engraçado é que me entende e responde, participa dessa estranha conversa sem palavras como se fossemos realmente um casal e isso me ilude, será que entende quão arriscado é se atentar a esses detalhes?
Ei, meu amor, seja sincero ao responder esta carta.
Talvez eu tenha cometido um erro, talvez não devesse, mas estou apaixonada por você.

Jéssica de Paula

2 comentários:

  1. O amor é assim não é?! Chega, vai chegando, tomando espaço... e muitas vezes não sabemos o que fazer com ele. O outro parece dar uma de desentendido e você fica se pergunta se não imaginou coisas...

    Parabéns, lindo texto!

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo elogio e pela visita aqui no blog. :)

      Excluir

Espero que tenha gostado do post e sinta-se à vontade para dar sua opinião aqui e voltar sempre que quiser. Pode também deixar o link do blog para que eu e outros leitores possamos conhecer um pouco de você.
Muito obrigada pela visita <3