domingo, 29 de julho de 2012

Tem Cura?


-Acho que preciso procurar um médico, não ando me sentindo bem.
-O que você tem?
-Não sei explicar direito, mas dói aqui no coração, é uma dor estranha, me dá uma vontade de chorar, meu estômago vive embrulhado, não consigo comer direito, não consigo dormir, às vezes choro a noite, não consigo me concentrar nas coisas a minha volta, tenho vontade de ficar o dia todo na cama, me sinto cansada.
-Desde quando sente isso?
-Desde que acabou.
-Tem razão, você está doente.
-Você sabe o que é?
-Coração partido.
-Tem cura?
-Não, mas com o tempo você acostuma com a dor.

Texto por Jéssica de Paula

A Fim de Mim

Hoje não acordei muito a fim de pessoas, não estou com paciência para palavras, estou sem vontade, completamente sem vontade de seguir as regras e nem um disposta para quebrá-las, não quero esperar seja o que for. Hoje acordei meio assim, meio sei lá, acordei a fim de mim, querendo me curtir, ter uma conversa comigo, pode ser algo sério ou não, falar besteira e me mandar calar a boca, deixar um pouco o mundo lá fora e ficar sozinha comigo, tentar me aproximar mais de mim, me conhecer, saber o que está acontecendo e como eu me sinto sobre tudo a minha volta… É, hoje eu acordei meio assim, a fim de mim.
Texto por Jéssica de Paula

Barreiras.

Quando eu caminhava sozinha me sentia solitária, mas isso doía menos, quando os lugares e as pessoas são passageiras não há tempo para machucar, mas, por algum motivo, a solidão não me era mais suficiente, um dia comecei a deixar cada pessoa que se aproximava derrubar um pouco do muro que construi a minha volta. Só agora me dou conta de que cada vez que isso acontecia um pedaço de mim também foi derrubado, confiei em quem não devia, fui amiga, mas nem sempre tive um amigo, voltei a caminhar sozinha às vezes, mas não por opção e sim porque fui deixada no caminho por aqueles que se diziam amigos. Não culpo nenhuma dessas pessoas, talvez se esse muro nunca tivesse existido eu teria aprendido desde cedo a lidar com as pessoas, a lidar com sentimentos, a lidar com a perda… Talvez, se eu não tivesse tido tanto medo de viver, as feridas fechassem mais rápido.
Texto por Jéssica de Paula

domingo, 22 de julho de 2012

Apenas sorria

Mesmo triste, mesmo que seu coração esteja partido, mesmo que tudo pareça perdido não deixe de sorrir. Não se feche para o mundo e as pessoas, sorria mesmo que não seja um sorriso sincero e um dia, quando menos esperar, seu sorriso será verdadeiro, sincero e trará para seu coração alivio e um pouco de paz. Sorria, sempre, sorrisos são um passo para a entrega total de si para a felicidade. Sorrisos são belos. Sorrisos são chaves para o coração de outras pessoas que sabem valorizar esse gesto tão simples e, ao mesmo tempo, tão grandioso. Sorria por causa do belo dia de sol, ou pela chuva que vai te prender embaixo das cobertas vendo um filme em família, sorria pelo comentário idiota do babaca do seu amigo, ele faz isso pra te ver sorrir, acredite. Sorria. Apenas sorria. Sorria por estar aqui e ser quem você é, pois, acredite ou não, você é especial e não merece nada menos que sorrisos. Sorria.


Texto por Jessi de Paula