terça-feira, 19 de junho de 2012

Ah, que saudade!



Existe uma saudade inexplicável dentro de mim. Uma saudade de algo que nunca tive. Saudade de alguém dentro de mim, alguém que nunca fui, mas poderia ter sido. É estranho. Algo morre aqui dentro sem nem ao menos ter nascido. Talvez eu apenas não veja, talvez seja só um sentimento. Talvez. Talvez. Quem pode dizer? Quem pode saber? É difícil... Não, impossível segurar o que não se pode ver. Então o deixei partir e agora sinto sua falta. É aquela vontade de chorar, aquela dor. Como não deixar morrer o que não se conhece?! Eu o deixei perecer e agora sinto sua falta. Sinto falta. Só não sei dizer do que. Ou será quem? É possível? Sentir falta sem se ter um objeto de saudade? Acho que não. Com certeza não é possível. Mas eu sinto essa falta, essa tremenda saudade do que quer que seja. Ah, que saudade do que não chegou e tão cedo se foi.

Jessi de Paula